Extensão, Pela Faac

Get Moving: projeto da UNESP é um dos vencedores no Prêmio Universitário Aberje

 

O Prêmio Universitário Aberje, PUA, é realizado desde 2011 e tem a função de avaliar equipes de estudantes universitários do Brasil na resolução de um case na área de comunicação. Promovido numa parceria entre a Aberje, Associação Brasileira de Comunicação Empresarial, e a Agência de Comunicação ECA Jr., a iniciativa é inspirada no Prêmio Aberje, renomado no ramo de Comunicação Empresarial há 46 anos.

Em 2014, o desafio consistiu em encontrar a solução para um problema de mobilidade urbana da General Motors, a GM, semelhante a uma experiência de mercado em empresas e grandes corporações. Pensando nisso, uma equipe de estudantes vindos de duas Faculdades da Unesp Bauru resolveu colocar seus conhecimentos em prática em busca de uma forma de resolver a questão. Após uma longa jornada, a decisão os levou à categoria de vencedores.

Estudantes dão seus depoimentos sobre as dificuldades e alegrias da conquista deste importante prêmio de Comunicação no meio das universidades brasileiras (Fonte: Divulgação Aberj)
Estudantes dão seus depoimentos sobre as dificuldades e alegrias da conquista deste importante prêmio de Comunicação no meio das universidades brasileiras (Fonte: Divulgação Aberje)

Beatriz Costa Alves do Santos, Vanessa Lazaro Sforsin, Camila Celestrino de Morais (estudantes do 3º e 4º ano de Relações Públicas da FAAC) e Renan Carriel Fonseca (graduando em Engenharia Mecânica na FEB) se uniram para dar forma ao projeto de título Get Moving: relações humanas intensificadas a favor da mobilidade urbana. Como Vanessa explica, “o Get Moving (G. e M da GM) traz a ideia do movimento, das pessoas se movimentando juntas a favor da mobilidade urbana”.

Segundo Beatriz, após a união do grupo e a definição do tema, “a interdisciplinaridade da equipe foi com certeza um ponto que agregou muito à nossa campanha. Nós víamos em todo momento, em todas as reuniões a integração que a equipe tinha e forma como estávamos ‘nos completando'”. Vindos de cursos e momentos diferentes da graduação, os participantes concordam que a experiência auxiliou – e muito – no entendimento de como funciona um trabalho coletivo profissional.

Após quatro etapas compreendidas em um curto espaço de tempo e alguns deslocamentos de Bauru a São Paulo em meio à rotina universitária no interior, os participantes acordaram no dia 16 de maio com a notícia na página da Aberje de que haviam sido os terceiros colocados entre as cinco equipes vencedoras da competição, que envolvia mais de 160 grupos em sua primeira etapa.

Na fala de Camila, além do trabalho realizado em conjunto, fica a importância da autorrealização: “Para mim, o maior reconhecimento foi o pessoal, pois depois do desafio eu me sinto confiante para resolver qualquer problema que me for dado”. Além disso, os participantes citaram a relevância de tal experiência para seus currículos, a inserção num grande ramo empresarial e o contato com profissionais renomados da área de Comunicação. Beatriz enfatiza a importância de cada um dos passos dados rumo à vitória, por fim. “Comemoramos cada conquista, cada etapa que passávamos e o ‘conseguimos’ ou ‘jornamos’, como a gente costuma dizer, é sem dúvidas a melhor coisa que vamos levar do desafio!”

 

por Ana Beatriz Ferreira

 

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s