Extensão

Da faculdade para o mercado de trabalho: RPJr

A RPjr, empresa júnior de Relações Públicas, é umas das empresas juniores mais antigas da FAAC e do câmpus de Bauru, com aproximadamente 10 anos. Reconhecida pela experiência e profissionalismo, ela organiza eventos variados, como o Meeting, que coloca os alunos de RP em contato com profissionais da área; o Trote Solidário; o Projeto de Visitação, no qual os alunos vistam as empresas da região para conhecer a área comunicacional; auxilia na realização da Jornada Multidisciplinar, Fórum de Extensão Universitária e outros eventos da faculdade. Entrevistamos Marina Prata Pereira, trainee de Relações Comerciais para conhecer melhor o funcionamento da empresa.

Como é o funcionamento da RPjr? 

A RPjr possui atualmente 20 membros estruturados em 8 diretorias ( Diretoria Administrativa, Diretoria de Finanças, Diretoria de Comunicação, Diretoria de Projetos, Diretoria de Recursos Humanos, Diretoria de Pesquisa & Desenvolvimento, Diretoria de Relações Comerciais e Diretoria de Qualidade), na qual cada uma possui um diretor e trainees de acordo com a necessidade de cada diretoria. A diretoria possui funções conforme suas especificidades, além disso, os membros são escalados para participar de determinadas etapas dos projetos em andamento da empresa. A RPjr possui um organograma horizontal, no qual não há hierarquização de poder. A divisão trainee e diretor se dá pela experiência na empresa. Possuímos também um manual de conduta, um estatuto e um regimento interno, para que todas as atividades realizadas pela RPjr tenham regras e padrões a serem seguidos.
A RPjr funciona de segunda a sexta em horário comercial – das 8h às 18h. Os membros devem fazer o mínimo de duas permanências de 4h30min durante a semana, além da reunião semanal que todos da empresa devem estar presentes.

Como os alunos interessados podem participar da empresa? 

Os alunos devem primeiramente, estar regularmente matriculados no curso de Comunicação Social – Relações Públicas da Unesp – câmpus Bauru e devem participar do processo seletivo da empresa. Acontecem dois ao ano e seguimos critérios iguais aos de uma empresa. Ao ter as vagas divulgadas pela empresa, o candidato se inscreve para três dessas vagas, conforme seu perfil e sua identificação pelo cargo. Em seguida, através de dinâmicas, provas e uma entrevista pessoal, selecionamos os novos membros da empresa, sempre com assessoria de pessoas capacitadas na área da psicologia.
O novo membro entra como trainee da diretoria a qual faz parte e recebe, primeiramente, treinamentos do seu diretor para se adaptar ao funcionamento da empresa e, a partir disso, passa a realizar suas funções na diretoria.  Para a maioria dos projetos da empresa não há recrutamentos de voluntários, porém conforme o projeto e a necessidade procuramos envolver os alunos do curso para cada vez mais eles terem um contato com o mercado de trabalho e a área de Relações Públicas.

Como é feita a escolha dos trabalhos de vocês? 

As empresas chegam até nós com propostas de trabalhos, assessorias, entre outros projetos. A principio, verificamos se o projeto é da área de Relações Públicas e em seguida vemos a viabilidade de executá-lo, conforme nosso planejamento. Por exemplo, se vai dar tempo de realizar todas as etapas, se os membros estão disponíveis para que o projeto decorra com qualidade.

De onde vêm os recursos financeiros e materiais? 

A RPjr é um projeto de extensão, e cada ano a Pro-Reitoria de Extensão (Proex) classifica as empresas juniores com conceitos de A a D, conforme os projetos realizados pela empresa, a estruturação e os serviços prestados. Ao ser conceituada, a empresa júnior recebe uma verba equivalente a sua classificação. Essa verba é por RMS´s (Requisição de Materiais e Serviços), e pelo segundo ano consecutivo a RPjr recebeu o conceito A. Além do mais, nossos recursos financeiros também vêm dos projetos realizados pela RPjr, no qual cobramos 30% do preço do mercado de trabalho. É através desses recursos que conseguimos dar continuidade aos trabalhos da empresa e viabilizar novos projetos.

Quais os maiores desafios da empresa? 

As empresas juniores são formadas exclusivamente por alunos de graduação, diante desse fato, a credibilidade e o comprometimento nos trabalhos, muitas vezes, são questionados pelo mercado de trabalho. Porém, através dos projetos realizados pela RPjr, estamos demonstrando nossa capacidade e qualidade, desmistificando esse estereótipo.

O que acrescenta ao aluno participar de uma empresa júnior? 

Participar de uma empresa júnior é algo complementar à faculdade, pois é uma grande oportunidade de alinhar os conhecimentos acadêmicos com as práticas de mercado. É a partir disso, que o aluno começa a perceber a realidade e se adaptar às práticas, aprimorando seu lado profissional e pessoal. Trabalhar em uma empresa júnior é diferente de estagiar em outras empresas, pois é algo motivador, uma vez que o cargo que você ocupa na empresa é de grande importância para a tomada de decisões e o desenvolvimento da mesma.

Mellina Cheminand

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s